Sinto que cada vez há mais pessoas a quererem levar hábitos de vida mais saudáveis. Ainda que o primeiro objectivo seja fazer uma dieta para emagrecer ou engordar, a maioria chega à conclusão de que a alimentação para a saúde deve ser um estilo de vida e começam a querer implementar isso nas suas casas.

Quem adora cozinhar, pesquisar, ler, ir às compras, etc está muito bem. Mas quem não adora estes afazeres domésticos e pesquisas intermináveis entra em parafuso. O que comprar? Onde ir? Como não gastar um balúrdio nestas coisas todas “healthy-chic”?

Compra onde fôr mais sustentável para a tua carteira. Tenta ir aos mercados tradicionais onde tudo é mais fresco e, por vezes, barato. Quanto aos produtos “healthy-chic” mais caros... Há uns em que vale mesmo a pena investir (óleo de côco, adoçantes naturais, alguns cereais, tamari ou molho de soja, vinagres, mostarda, frutos secos e sementes)... Outros que não são obrigatórios.

Claro que recomendo, sempre que possível, biológico. Entre os mercados AgroBio aos Sábados, as entregas em casa de várias quintas bio, os supermercados bio (cada vez abrem mais) e lojas a granel conseguem comprar tudo para uma cozinha bem saudável.

Faz a tua lista de prioridades :)

Já alguns de vocês me pediram esta lista. Espero estar a ajudar!

cozinha saudável

Por mais difícil ou apressada que a vida fique, há poucas coisas mais reconfortantes do que chegar a casa e saber que tens opções saudáveis prontas a cozinhar, que vão nutrir e mimar o teu corpo! Por isso usa esta lista como cábula, escolhe o que mais gostas e vai às compras! Escolhe o mais natural possível, sempre.

 

SECOS

 

Grão, feijões e lentilhas – em lata ou secos, que demolho e cozo com alga kombu (ficam melhores de digerir) e guardo em saquinhos no congelador.

Arroz, quinoa, millet, amaranto e trigo sarraceno – cozem relativamente rápido e ajudam a completar uma salada ou um assado de legumes no forno.

Farinhas – de aveia (assim como em flocos), arroz, trigo sarraceno, grão de bico, amêndoa ou, raramente, espelta. Para panquecas, brownies, muffins,hambúrgueres ou bolos.

Especiarias – podes cozinhar o mesmo dois dias seguidos, mas se temperares de maneira diferente, o teu jantar não tem que ser uma seca! Eu tenho sempre pimenta preta, curcuma (ou açafrão das Índias), alho em pó, gengibre em pó, paprika (colorau ou pimentão doce), uma mistura de caril que goste, ervas secas como tomilho, oregãos, louro ou uma mistura de ervas da Provença.

Gorduras – tenho sempre azeite virgem extra e óleo de côco extraído a frio, ambos biológicos. Gosto de ter óleo de sésamo torrado para um boost de sabor e cheirinho a Ásia.

Costumo ter sempre uma tablete de chocolate preto (mín. 70%), assim como cacau cru em pó e pepitas de cacau cru que adoro para fazer doces, leite com chocolate ou adicionar ao pequeno almoço.

Temperos – vinagres (tinto, sidra e balsâmico), molho de soja ou tamari, mostarda de Dijon e sal marinho, sempre.

Frutos secos e sementes – gosto de ter sempre amêndoas, avelãs, cajus, sementes de girassol, abóbora, chia, cânhamo e sésamo, mas escolhe as que gostares mais e as que puderes comprar. Dão-nos gorduras boas, algumas são ricas em proteína, outras em zinco... Basta pesquisar :)

Com elas gosto de fazer manteigas, bastante práticas para o dia-a-dia (também disponíveis em supermercados já feitas), molhos vegan, granola caseira (no forno ou express).

Adoçantes naturais — mel, tâmaras Medjool, geleia de arroz, açúcar de côco são o que costumo ter sempre. Boas alternativas são o xarope de ácer, a geleia de agave ou a stevia, que é a menos calórica e com índice glicémico nulo.

Legumes secos — cebola, alho, gengibre e curcuma.

Ovos e lacticínios – Ovos biológicos sempre, se não fores vegan. Para quem consome lacticínios, queijo parmesão é um essencial, assim como o mozzarella e o iogurte natural ou o quark. Boas alternativas são os produtos feitos com leite de ovelha ou cabra, com menos lactose e menos "refinados". Quem não consome lacticínios e tem saudades de queijo, já há à venda alternativas vegan aos produtos animais.

 

FRESCOS

 

É difícil falar sobre produtos frescos essenciais numa cozinha saudável porque tudo depende daquilo que queres cozinhar. Frescos costumo comprar quase todos os dias consoante o que preciso, o que me apetece, ou o que está com bom ar naquele dia. Por exemplo, no Outono não prescindo dos dióspiros, assim como na Primavera tenho sempre nêsperas.

Ainda assim, os da lista que se segue tenho todo o ano:

Legumes – courgettes, brócolos, espinafres, batata doce, kale, várias alfaces, cenouras.

Fruta – abacate, bananas, maçãs, frutos vermelhos.

Carne e Peixe — às vezes tenho carne ou peixe fresco no frigorífico. Tento saber a origem dos produtos e não consumir a todas as refeições. É uma escolha de cada um.

 

Concluindo, parece-me que o mais importante é ter sempre uns básicos na despensa e ir comprando os frescos com o passar dos dias.
Não te esqueças que, quando vês uma receita que queres fazer e não tens todos os ingredientes, podes sempre pensar em maneiras de os substituir por ingredientes que tenhas à mão.

Assim, se tiveres dois ingredientes de cada um dos grupos ali de cima, já tens uma despensa composta e zero desculpas para caíres na tentação da comida pronta, congelada do supermercado ou de take-away!

Vamos a isso? O teu corpo não espera! <3

 

E por aí? Quais são os ingredientes que tens sempre em casa? Quais as tuas refeições S.O.S. que preparas em dois segundos?

 

Para updates diários,

faz Like no Lemonaid aqui,

subscreve o canal de youtube,

 segue-me no Instagram @joanamlimao,

ou junta-te a mim no snapchat @ lemonaid.pt !