Depois do meu artigo sobre Os Básicos Essenciais numa Cozinha Saudável ter tido um óptimo feedback, percebi que falamos pouco dos temas comprar, conservar, preparar - quando falamos tanto de receitas - e que podiam ser mais explorados por aqui.

Há quem diga que um estilo de vida saudável é mais caro mas há várias soluções que ajudam os orçamentos mais apertados. Poupar no supermercado não é a única coisa que podes fazer. Uma das melhores dicas que te posso dar é: NÃO DESPERDICES!! O desperdício alimentar em casa pode ser dividido em dois: 1. as sobras que deitas fora porque acabaste por não comer e se estragaram e 2. os alimentos que vão para o lixo por já não estarem bons para consumir.

Quase sempre, a forma como conservas os alimentos dita a sua durabilidade. Ex. se guardares uma alface arranjada num saco de plástico vai durar muito menos do que se a acondicionares bem com papel de cozinha num recipiente próprio. Às vezes sobra um bocadinho do jantar e não sabes o que fazer mas, se guardares podes não só comer mais tarde, como fazer uma preparação nova com o que guardaste. Noutras ocasiões, preparar quantidades maiores e acondicioná-las bem para usos futuros pode ser a chave para não desperdiçar e ter uma cozinha mais caseira e sustentável. Mais uns minutos de preparação = mais dias de durabilidade.

onde e como guardar os alimentos | where and how to store food

Quando soube da nova campanha para promover a sustentabilidade da IKEA,  achei que fazia todo o sentido falar-te de como guardo tudo em minha casa de forma a que dure mais tempo e quais os truques que também tu podes usar na tua. Durante esta semana estão a ser feitas várias acções e ofertas especiais relacionadas com o tema (workshops Horta em Casa e Cozinha Saudável, acções educativas para os mais novos, lançamento de uma colecção mais amiga do ambiente e várias promoções em produtos seleccionados) e eu quis participar com algumas dicas para seres mais sustentável na tua cozinha.

 

 

Vamos a isso?

Quanto a recipientes, gosto de usar recipientes de vidro, uma vez que os de plástico vêm do petróleo e vão libertando toxinas para a nossa comida, principalmente se esta estiver quente (as tampas que uso e mostro são isentas de Bisfenol A).  Além disso, os primeiros duram muito mais tempo, não criam manchas e rachas nem se deformam com o uso. Podem ainda ser aquecidos sem perigos (eu levo os meus ao forno e a banho-maria e, até agora, tudo óptimo). Falando na sustentabilidade, também prefiro os recipientes de vidro porque polui menos a sua produção do que a dos de plástico, principalmente por terem uma durabilidade maior. Só mais um ponto extra: quando a preguiça é muita, dá para servir directamente os recipientes de vidro à mesa, enquanto que usando os de plástico fica sempre com aquele ar... Mauzinho.

(clica em cada objecto das imagens para mais informações)

 

Nos recipientes de vidro gosto de guardar:

  • sobras de alimentos,
  • folhas verdes e ervas aromáticas arranjadas, com um guardanapo de papel húmido em cima e outro em baixo (fotografia),
  • legumes preparados,
  • gemas ou claras quando sobram,
  • marinadas,
  • fatias de bolos, fritattas, panquecas,
  • bolachas, biscoitos ou pães,
  • doses individuais, nos recipientes pequenos, de refeições para a semana,
  • doses pequenas de sopa, para congelar,
  • refeições para levar, como esta (para o trabalho, para o picnic, para a praia...),
  • gelados, que ficam logo bonitos para servir.

 

Passando aos sacos de conservação, uso sempre os sacos de plástico mais resistentes. Gosto muito deles por virem em vários tamanhos, por os conseguir usar uma e outra vez, basta lavar, e por terem um método óptimo de fecho, que realmente funciona e se mantém fechado até ser aberto outra vez. Além disso, os sacos também são isentos de bisfenol A , um químico que pode prejudicar o funcionamento do sistema endócrino, responsável pela secreção de hormonas no nosso corpo.

(clica em cada objecto das imagens para mais informações)

 

Nos sacos de plástico costumo pôr:

  • sobras de alimentos, quando já usei todos os recipientes de vidro,
  • aparas de vegetais, ossos de galinha e espinhas de peixe, separamente, para congelar e fazer caldos quando tiver uma quantidade considerável,
  • fruta em pedaços, para congelar e fazer smoothies e gelados,
  • doses individuais de smoothies (clica aqui para veres receita e vídeo),
  • cascas de fruta para refrescar e aromatizar água,
  • leguminosas cozidas, em doses pequenas,
  • carne, peixe ou vegetais a marinar (clica aqui para veres receita e vídeo),
  • flocos de aveia (ou outro) para panar alimentos - basta abanar o saco,
  • snacks para levar e ir comendo durante o dia,
  • cubos de gelo, de caldo, de azeite e ervas ou de purés de frutas ou vegetais, previamente feitos em couvettes.

 

Também uso outros produtos como os sacos de tecido para ir às compras e não usar os do supermercado, ou simplesmente para guardar secos ou fruta em casa; tenho sempre uma garrafa de vidro em casa, porque mantém o sabor natural e fica sempre bem na mesa; fecho toda e qualquer embalagem com as molas herméticas há anos, não vivo sem estas molinhas que impedem os alimentos de se estragarem pois quando fica bem fechado não entra ar nenhum nem se entornam. E porque quando há lixo, acredito que deve ser devidamente separado, um balde para o lixo dá sempre jeito e não há quem não tenha. Gosto de ter um para cada tipo de lixo (orgânico, plástico, papel e outros pequenos para vidro, pilhas e óleos).

(clica em cada objecto das imagens para mais informações)

 

E por aí? O que fazes em casa para a tornar mais sustentável? Tens dicas para partilhar?

Adorava saber para experimentar por aqui !

 

Para updates diários,

faz Like no Lemonaid aqui,

subscreve o canal de youtube,

 segue-me no Instagram @joanamlimao,

ou junta-te a mim no snapchat @ lemonaid.pt !